Psirico

Psirico

Ôpo de Xangô

Álbum: #Psirico - Mais Tocadas 11 Plays

Ôpo de Xangô Letra

Ôpo de Xangô
Não se laça um boi que tem dono
Quando o dono do boi é o pai Xangô
A saudação que é obanixé Kaô Kabecilê
Se tem palha, tem búzio, tem axé
Tem moche, tem machado, tem pilão
Um pouquinho de ebo com ataré
A lubaça te dar um confirmação

Adja ê adja
Adja ê adja (no gere)
Adja ê adja
Adja eum adja Ogum adja
Traga o obé corte um aquicó
Chame Exu para receber Ejé
Abra o xirê para o pai Ogum
Junto com Logum Edé
As águas do Níger o reino de Oyó
A pedra de Abelkuta um canto para Xangô
Obanixé kaô nas águas de pai Oxalá

(Tambor de Oyá)
Adja ê adja
Adja ê adja (no gere)
Adja ê adja
Adja eum adja Ogum adja
Traga o obé corte um aquicó
Chame Exu para receber Ejé
Abra o xirê para o pai Ogum
Junto com Logum Edé

As águas do Níger o reino de Oyó
A pedra de Abelkuta um canto para Xangô
Obanixé kaô nas águas de pai Oxalá
Adja ê adja
Não se laça um boi que tem dono
Quando o dono do boi é o pai Xangô
A saudação que é obanixé Kaô Kaô com Kabecilê

Se tem palha, tem búzio, tem axé
Tem moche, tem machado, tem pilão
Um pouquinho de ebo com ataré
A lubaça te dar um confirmação
Adja ê adja
Adja ê adja (no gere)
Adja ê adja
Adja eum adja Ogum adja